Ela estava em casa amargurando o final de um relacionamento há pouco mais de 15 dias e, após muita insistência das amigas ela resolveu sair! Sábado a noite: a receita é quase a mesma… salto alto, vestido adesivo valorizando as curvas perfeitas emolduradas pelos cachos dourados. Pintou o rosto: foi pra guerra! Por fora um “fera” em busca de sua presa… por dentro uma menina sonhando com seu príncipe encantado para lhe devotar amor e proteção. Mas silêncio! Ninguém pode saber sobre isso! A regra do mercado é o “desapego”!

Quanto mais malhada: melhor! Quanto mais posicionada no mercado de trabalho: melhor! Quanto mais “desapegada”: melhor… do tipo: eu não me importo! Quando mais “bebida”… melhor! Quanto mais “camarote”… melhor! Num momento de descontração ela baixou a guarda e flertou com o cara de olhos verdes que a olhava fixamente da pista de dança… a cabeça girou, e ela foi em direção a ele, como a fera vai em direção à sua caça… bobagem! Ela sabia que seria a sobremesa daquele cara no final da noite! Mas ela precisava se enganar e acreditar que dessa vez as coisas seriam diferentes!

A batida da música era alucinante: desapego, malhar, trabalhar, amor, casar, filhos, cama, sexo… tudo se misturava ao enorme vazio que ela sentia no coração e que precisava urgentemente ser preenchido. Aqueles olhos hipnotizantes lhe fizeram promessas silenciosas… e como se fosse por telepatia um acordo foi feito: saíram dali para conversarem melhor!

menos-desapego

No caminho pouco conversaram, e entre as poucas palavras a pergunta: “Na sua casa ou na minha?”… A Fera preferiu ir para a casa dela, pois acreditava que no seu território o domínio seria maior. Quanto engano nessa história básica! De Fera ela se tornou a caça e acordou com um bilhetinho ao lado da cama: “adorei te conhecer, um beijo, J.” J de quê? Qual o nome dele?

E o vazio continuou reinando, e a falta do antigo amor ficou ainda maior… ela se sabotou, ela se machucou, ela não se valorizou! Malhar, trabalhar, estudar, ter, vestir, comprar… tá sobrando aqui fora, tá faltando no coração. Tá faltando amor, tá faltando abraços apertados, tá faltando sorriso sincero, tá faltando olhos nos olhos! Pessoas que se assumam com seus defeitos, seus anseios, seus sonhos… que sorriem de verdade, que chorem suas derrotas e falem sobre elas com o rosto erguido. Tá faltando amor próprio, tá faltando apego.

Sim: pois é muito mais fácil destruir do que construir! É mais fácil arrancar do que plantar! É mais fácil sabotar do que ir adiante na raça e com as próprias pernas! É mais fácil dispensar a pessoa porque ela não se encaixa no seu horóscopo do que investir algum tempo conversando e olhando nos olhos. É mais fácil resolver os dramas do coração descontando a raiva no outro do que rever o que machuca a sua alma e se reprogramar. É mais fácil culpar a família e os amigos do que atrair para si a responsabilidade dos seus fracassos! É mais fácil deletar, bloquear, ignorar… do que encarar a pessoa de frente: justamente da forma como tudo começou! É mais fácil ter um comportamento padrão e clichê do que ser gente de verdade!

Comments

comments

23 COMENTÁRIOS

  1. Lindíssimas palavras. Porque hoje não choramos o que dói? e fingimos e nos sabotamos apenas para manter as aparências…. Você foi muito assertiva no que disse! É por isso que amo seu blog!

  2. Lindíssimas palavras. Porque hoje não choramos o que dói? e fingimos e nos sabotamos apenas para manter as aparências…. Você foi muito assertiva no que disse! É por isso que amo seu blog! Parabéns!

  3. Nossa falaste tudo !!! texto perfeito…é exatamente isso que acontece..
    Sou sua fã.!!!!!!!!
    ADORO TEU BLOG ACESSO TODOS OS DIAS. PARABENS

  4. Conheci seu blog há pouquíssimos dias e já estou apaixonada. Tem como não concordar com muitos dos seus textos? Impossível! Parabéns! Ótimo blog, maravilhosos assuntos e escrita incrível.

  5. ESSAS PALAVRAS PARECE SER INCRIVELMENTE PRA MIM, PORQ ISSO SE ENCAIXA TÃO PERFEITO?, SERÁ QUE UM DIA O AMOR VAI VOLTAR A ME RECONHECER….

    UM ABRAÇO!!!

    • Oi Erica!

      Recebo milhares de mensagens como as suas! Todas nós, mulheres, passamos por momentos assim! Não se sinta triste! Você é normal! 🙂 Na verdade linda… você reconhecerá o amor e não aceitará menos do que ele! Leia o texto aqui no blog “Quando Eu me Amei” http://derepentetrintei.com/2014/05/quando-eu-amei/ Quando essa fase chegar você não vai viver o que vive hoje! Um beijo, Isa!

  6. Parabéns pelo excelente texto, tenho acessado seu blog quase diariamente e a cada dia me identifico,ainda mais, com suas ideias e mensagens. A impressão é de que você escreveu pra mim. Bjs!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here