INSTAGRAM: @derepentetrintei

“Um novo começo de era, de gente fina, elegante e sincera…”; lembro-me de repetir os versos da música de Lulu Santos ainda criança achando tudo aquilo muito interessante: a rima, as palavras sem muito significado e a ideologia de me tornar tudo aquilo que supostamente eu deveria ser… “com habilidade pra dizer mais sim do que não, não, não, não”.  Dei risada hoje enquanto navegava pela Net e percebia a palavra “Elegância” evocada com tanta sonoridade, ainda que por escrita, mesmo porque elegância é algo que está na moda! Sim: elegância não se compra!

 

Segundo o dicionário “elegância” vem do latim, significando gosto, delicadeza e distinção. Melhor dizendo: Gosto delicado no trajar, no falar, na delicadeza associada à simplicidade e clareza. Lulu Santos cantou sobre gente fina, gente clara ao se expressar, gente sincera… seríamos nós as pessoas desse novo começo de era? Enquanto navego pelas redes sociais e observo os acontecimentos da noite anterior, percebo que estamos muito longe disso. Nos versos de Lulu a pessoa está preparada para dizer mais “sim” do que “não”. Elegância ou falta de autonomia e personalidade? Elegância ou falta de gerência de sua própria vida?

Pessoas elegantes se reconhecem pelo que é dito (ou pelo silêncio bem pontuado). Pessoas elegantes têm atitudes nobres; pessoas elegantes não destilam veneno;  pessoas elegantes vestem-se de paz e equilíbrio social; pessoas elegantes somam na vida das outras; pessoas elegantes são gratas umas às outras e não incendeiam a vida alheia com fofoca; pessoas elegantes entendem que a fineza está muito mais ligada à vestimenta da alma do que a do corpo!

Pessoas elegantes não puxam o tapete de quem lhes estende a mão! Pessoas elegantes entendem que precisam umas das outras e que a vida é uma dança das cadeiras: um dia sentado… outro dia de pé! Pessoas elegantes cumprem o que prometem.

Tenho aprendido a duras penas que nem todo sorriso é sincero; que nem todo abraço é caloroso… que o tapinha nas costas pode vir acompanhado de punhal. Mas a explicação para toda falta de elegância e amizade está exatamente na pobreza de espírito que reside na falta de amor próprio e no costume de não saber receber amor. Sabe aquela pessoa que você trata bem, cuida e ama… e que por algum motivo ela resolve te detonar sistematicamente?!? Ela não precisa do seu rancor, da sua raiva e nem do “troco”! Ela precisa do seu amor e da sua oração! A qualquer momento ela vai cair na rede que ela tem emaranhado para você…

Por um mundo onde haja menos adjetivos e mais verbos! Ação, atitudes, mudanças… assim devemos ser! Pessoas dinâmicas que busquem a paz social e o bem estar comum. Uma alma elegante vale mais do que mil palavras ao vento! Ela sim: faz a diferença na sociedade! Palavras o vento leva. Amor também se aprende!

Um beijo,

Isa

Comments

comments

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here