Houve dois momentos em minha vida em que tive excesso de peso. No primeiro deles eu tinha uns 22 anos e estava num momento muito conturbado, vivendo de forma ansiosa. Embora minha estrutura física não seja a de uma mulher magrinha e longilínea, eu sempre lutei contra minhas pernas grossas!  O ponteiro da balança chegou a marcar 82 Kg e numa visita ginecológica de rotina a médica me informou que minha pressão estava alterada, 14 X 8. Naquele momento resolvi mudar minha vida e comecei a fazer dieta e caminhadas regulares. Os quilos em excesso foram embora com tranquilidade, já que eu era mais nova e o metabolismo contribuía e muito.
1465346_635532939835687_1950105654_n
Assim que me casei, aos 28 anos, comecei a malhar e a ter um estilo de vida bem saudável mesmo: fazia musculação 03 vezes por semana e corria na esteira 7 Km em dias alternados. Foi um momento de saúde e paz comigo, com a comida e com meu corpo! Tudo transcorreu muito bem (embora eu tivesse que controlar minha alimentação, e muito, pois tenho facilidade para ganhar peso) até que eu engravidei, aos 31 anos.
Comecei a comer exageradamente e compulsivamente. Nunca fui de comer besteiras como doces, bolachas recheadas e guloseimas. Eu queria comer mesmo era comida! Arroz, feijão… e comia mesmo! Como sentia muita fome, saía do trabalho e comia coxinhas e todo tipo de frituras… coisas que eu não comia antes da gestação me dei o direito de comer! As pessoas me diziam que não havia problema, pois eu estava grávida… e que tudo daria certo quando o bebê nascesse!
Dei entrada na maternidade com 84 Kg e saí de lá com 87 Kg…(parece piada). Eu acreditava que, quando o bebê nascesse, eu me livraria de pelo menos uns 10 kg! Após dar a luz, 10 dias após o parto comecei a ter depressão e fiquei impedida de amamentar, pois precisei tomar medicamentos. Moral da história: não poderia ser beneficiada nem com a amamentação para perder o peso mais: teria que ser na raça mesmo!
O dia em que resolvi tirar a cinta pós-cirúrgica e me encarar no espelho, foi quando decidi que mudaria minha vida novamente: entendi que eu me escondi atrás da gestação para comer o que eu bem entendesse: e eu comi demais! O problema do excesso de peso era meu e apenas as minhas atitudes poderiam reverter aquele quadro!
Comecei a fazer uma dieta equilibrada durante o dia, associada a caminhadas diárias e, após as 18:00 hrs consumia apenas shake de proteína (já que eu não estava amamentando, eu poderia fazer uma dieta mais restritiva). Se a fome apertasse eu recorria às frutas. Eu me negava a usar as roupas de grávida novamente! Fiquei dentro de casa durante o processo de perda de peso… foi nesse período que comecei a escrever com dedicação o blog De Repente Trintei. Comecei a rever minha vida e as razões que me levaram a comer em excesso.
Lancei mão de alguns suplementos alimentares como spirulina, whey protein e colágeno hidrolisado. Tomava uma cápsula de spirulina antes do almoço e uma antes de tomar o shake. Esse suplemento me ajudou muito a “controlar o apetite”, e me dava uma força extra para fazer as caminhadas. Fiquei estimulada a consumir essas cápsulas por conhecer através de um artigo de uma revista suas propriedades antioxidantes e nutricionais.
Hoje, olhando tudo o que eu passei, percebo que o 1º fator que me auxiliou na perda de peso foi reconhecer que eu estava com excesso de peso, e que o pós parto não era desculpa para que eu continuasse a carregar os quilos extras. O 2º fator foi adotar a reeducação alimentar e atividades físicas: não há suplemento que dê jeito em excesso de peso se você não está disposta a pagar o preço e renunciar os desejos do seu corpo. Entendi que um pote de sorvete não vale a alegria de entrar no meu jeans preferido! O 3º fato foi o apoio do meu marido e da minha família: ninguém evitou comer nada perto de mim! Eu precisei aprender a lidar com a comida e a assumir a responsabilidade pelos meus atos! Nada de me fazer de vítima!
543
Nos 04 meses que se seguiram à dieta eu me livrei de 24 kg e hoje estou 25 kg mais magra!  Sigo uma alimentação equilibrada e bem balanceada, pois eu sei que meu metabolismo é bem mais lento hoje, já que tenho 34 anos! Acredito que uma orientação nutricional seja indispensável para quem esteja passando por esse processo para não ser seduzida por dietas “milagrosas” e que fazem de tudo no corpo: menos eliminar gordura! O caminho para o sucesso é contínuo, progressivo e lento! E em se tratando de peso, principalmente, não há acordo: é educar a boca, para ter saúde e colher beleza!

Comments

comments

7 COMENTÁRIOS

  1. Isabelle,

    Adorei o post. Parabéns pela sua força de vontade!
    Vc teve ajuda de nutricionista neste período?
    O que vc comia no trabalho?

    Bjs,
    Marianna

    • Oi Marianna, tudo bem?

      Obrigada por ler o blog! Eu sempre fiz acompanhamento nutricional! Nessa época eu não fiz porque nem saía de casa, mas tinha noção do que fazia. Eu não estava trabalhando, pois estava na licença pós-parto! Acho que isso ajudou (ou não, pois ficava dentro de casa o tempo todo). Fiz um post para ajudar as pessoas que vão para o trabalho… você viu? Segue o link: http://derepentetrintei.com/2014/03/viabilizando-minha-perda-de-peso/

      Espero ter ajudado! Bjs

  2. Oi parabéns pela sua força de vontade, muito bacana isso, e motivador pras outras pessoas, eu no caso estou precisando dessa força de vontade e mudar totalmente tmb meu corpo, que me incomoda muito, se vc puder passa suas refeições pra geente dê dicas mais diretas, pra ajudar no emagrecimento, tmb quero eliminar uns 22 kg, bjs e até breve,. Alessandra Santos (Obs.: o outro comentário foi errado)

  3. Menina! Temos a mesma idade e mais ou menos o mesmo histórico. Só que eu estive muito gorda antes de engravidar. Agora recuperei 5 kilos dos 6 que eliminei em 2012/2013. Quero voltar a ter aquela energia e disposição para malhar e me alimentar de forma saudável. Cheguei a tomar chá verde em cápsulas o que ajudou muito (com orientação de uma nutricionista). Acho que vou voltar pois a disposição é outra. Parabéns pela determinação e força de vontade! bjs

    • Que legal Dani!

      Continue no caminho porque a minha luta é constante! Eu mantenho minha vida monitorada e de olho na balança! Obrigada por participar do blog! Um beijo, Isabelle

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here