Esta dica de nutrição tem um sabor especial para mim, pois é a primeira vez que escrevo como “balzaquiana” fazendo parte das “TRINTANTES!”. Como vocês, agora vou sentir na pele “literalmente” e no corpo as mudanças desta nova fase, os 30! E para ajudá-las em mais um obstáculo nutricional, saiba definitivamente TUDO SOBRE ÓLEOS!

Oleos vegetais

Quais são os óleos que podem ser utilizados na culinária?

Os tipos de óleos vegetais mais comuns na mesa do brasileiro são os de canola, girassol, milho e o de soja. Atualmente outros tipos de óleos vêm sendo usados como o de coco, gergelim e linhaça. Os azeites com os seus diferentes tipos também fazem parte do grupo de óleos. A utilização de determinado tipo de óleo dependerá das preferências e necessidades de cada um.

Qual o melhor óleo para saúde?

O ideal é que a refeição tenha o mínimo de óleo possível, e muitas vezes, não há a necessidade nem do uso de óleo!

1) Canola: indicado para refogar. Este óleo possui menos gordura saturada e maiores teores de gordura monoinsaturada (reduz os níveis de LDL, colesterol não benéfico, no sangue).
2) Milho: indicado para fritar. Este óleo resiste a temperaturas elevadas e não deixa gosto residual.
3) Azeite extravirgem: indicado para temperar a frio. Rico em gordura monoinsaturada que aumenta os níveis de HDL (colesterol benéfico).

Quais são os tipos de azeite e como utilizá-los para manter seus benefícios?

O azeite de oliva pode ser classificado em quatro tipos: extravirgem, virgem, refinado e composto. A diferença entre eles está no teor de acidez, o que também influencia no sabor. Quanto menor a acidez, maior a pureza do produto.

1) Extravirgem: extraído da primeira prensagem da azeitona e tem acidez no máximo de 1%. Não passa por nenhum processo químico.
2) Virgem: extraído da segunda e terceira prensagem da azeitona e tem acidez no máximo de 2%.
3) Refinado: passa por processos químicos e tem perda de sabor, aroma e parte das vitaminas.
4) Composto: é a mistura do azeite refinado com algum outro tipo de óleo, como por exemplo, o de soja.
 
Assim para quem quer investir na saúde, opte pelo consumo do azeite extravirgem!

Frituras são prejudiciais, mas quando não podemos fugir das frituras, o óleo pode ser reaproveitado?

Primeiramente vamos tentar ao máximo fugir das frituras! E em último caso se realmente for preparado algum alimento frito nunca reutilize os óleos vegetais! Quando expostos a altas temperaturas eles sofrem oxidação e assim diminuem suas propriedades nutricionais, além disso, o aquecimento excessivo do óleo pode formar substâncias tóxicas, capazes de causar irritações no nariz, estômago e boca.

O óleo de coco ajudar a emagrecer?

Não há comprovação científica do efeito emagrecedor do óleo de coco. Assim como outros tipos de óleos ele também possui calorias e o consumo excessivo pode provocar o ganho de peso, já que é um adicional calórico na sua alimentação. Não existe segredo: para emagrecer a receita é tradicional: alimentação equilibrada e a prática de exercícios físicos!

Beijos Nutridos.

Comments

comments

2 COMENTÁRIOS

    • Olá Taly, que bom que gostou da dica, fico feliz! Acompanhe sempre as novidades em nutrição! O milho é o melhor óleo para fritura, falava-se muito no de soja, mas ele acima de 180 graus se degrada e pode causar dor de estômago e azia. Já o de milho resiste melhor a altas temperaturas! Beijos NUTRIDOS.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here