INSTAGRAM: @derepentetrintei

Olá pessoal!

A resenha de hoje é sobre o terceiro livro do quarteto de noivas da autora Nora Roberts.

Bem casados irá contar a história de Laurel, a confeiteira responsável pelos bolos maravilhosos da Votos – empresa de casamentos que ela tem com as amigas Mac, Emma e Parker.

Laurel, assim como Mac, não teve uma vida fácil. Seus pais, embora casados, eram distantes e o pai não só traía a mãe descaradamente como também perdeu o dinheiro da família, deixando-os com uma situação financeira complicada. Desde jovem, Laurel precisou se virar sozinha.

RESENHA-BEM-CASADOS

O sonho de Laurel era estudar culinária e abrir seu próprio negócio na França. Trabalhou em restaurantes para juntar grana para a faculdade, estudou em Nova Iorque e em Paris, e se preparava para lutar por seu sonho quando os pais de Parker, sua melhor amiga, faleceram em um acidente. Nesse momento voltou para Greenwith e foi trabalhar em um restaurante local como chefe de sobremesas, largando o emprego quando Parker decidiu fundar a Votos e a convidou para fazer os bolos e doces dos casamentos. Desde então, Laurel mora na mansão com Parker, cada uma na sua ala, e tem sua própria cozinha para trabalhar, da mesma forma que Emma tem a floricultura, Mac o estúdio fotográfico, e Parker o seu escritório.

Laurel sempre foi apaixonada por Del, irmão de Parker, mas como ele via todas elas como irmãs, nunca teve a esperança de que algo fosse acontecer entre eles. Del tem o costume de invadir sua cozinha quando vai à propriedade para resolver algum assunto jurídico da Votos ou participar de algum evento. Ele sempre rouba seus doces e os dois sempre discutem, em parte devido à paixão reprimida que ela guarda para si. Laurel se irrita quando Del é protetor de mais porque se lembra de que ele a vê como irmã.

POSTS RELACIONADOS:

Em uma discussão acerca de um bolo encomendado por Del e que ele tenta pagar, mas Laurel não aceita, a confeiteira toma uma atitude inusitada e beija o advogado para que provar a ele que não é sua irmã e que não precisa que ele tome conta dela. Del fica atônito, mas a partir desse momento não consegue vê-la como antes. Quando volta a encontrá-la, é a vez dele tomar a iniciativa e ele a beija para lhe dar o troco pelo que ela começou, iniciando assim uma pequena guerra entre eles, que acabam por decidir se encontrar algumas vezes para entender melhor a nova dinâmica daquela relação. Os dois se conhecem desde a infância e temem machucar um ao outro e complicar as coisas caso não venham a dar certo. Para simplificar a situação, eles decidem que não farão sexo por pelo menos um mês, para avaliarem se estão prontos para ter um relacionamento amoroso ou seguir em frente sem grandes danos. Laurel precisará lidar com o sentimento de inferioridade que surge de repente, tanto pelo nome de Del, cuja família sempre foi conhecida na região, quanto por amá-lo tanto e saber que ele apenas “gosta”dela. Del, por sua vez, terá que aprender que Laurel precisa de certa independência, e que por mais bem intencionado que seja, tentar cuidar tanto dela pode fazê-la se sentir mal.

Gostei muito da história desse casal. Os dois discutem o tempo todo, mas de uma forma divertida. Laurel não faz o estilo moça sentimental e romântica, ao contrário, é uma mulher forte e independente que sabe bem o que quer e conseguiu tudo o que tem com o próprio esforço. Del, por sua vez, é o típico cavalheiro, sempre preocupado com o bem estar das meninas. Ele não se ofende com os surtos de raiva de Laurel e é bem humorado e carinhoso para lidar com ela. As cenas de amor entre os dois são uma mistura sensual de paixão e ternura. Um ponto positivo para o livro é que continuamos acompanhando o que acontece com os casais dos outros livros: Mac e Carter, Emma e Jack, e também um pouco da evolução do romance de Parker com o mecânico Malcom, que será abordado no quarto e último livro do quarteto. Carter continua fofo de doer, Mac continua divertida e fazendo flexões de braços para estar com os ombros bonitos para o casamento, Emma e Jack continuam apaixonados, e Parker continua centrada – exceto quando está perto de Malcon, que parece tirá-la ligeiramente dos eixos. Mal posso esperar pelo último livro, “Felizes para Sempre”, e encerrar essa série que me conquistou do início ao fim.

Espero que tenham gostado!

 

Trechos:

“Na opinião dela, ele era bonito demais para o próprio bem e atraente demais para o bem de qualquer pessoa. Também era inabalavelmente leal, discretamente generoso — e irritantemente superprotetor.

Agora estava ali, sorrindo para ela, um sorriso rápido e fácil, com um desarmante lampejo de humor que Laurel imaginava ser uma arma letal no tribunal. Ou na cama.”

“Agarrou-o pelo nó perfeito da elegante gravata e o puxou para baixo enquanto lhe segurava os cabelos e o trazia para a frente. Em seguida, colou a boca à dele em um beijo ardente e frustrado que fez seu coração saltar no peito enquanto sua mente sussurrava: eu sabia!”

(Bem Casados – Nora Roberts)

Comments

comments

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here