INSTAGRAM: @derepentetrintei

 

Olá pessoal!

A resenha de hoje é sobre uma história de amor realista que me fez refletir bastante a respeito do valor do casamento. É muito fácil deixarmos a correria e os problemas do dia-a-dia interferirem em nossa rotina doméstica, afastando-nos daqueles que mais amamos. É o que acontece com o casal desse brilhante Spin-off de Diário de uma paixão.

Em O casamento somos apresentados a Wilson e Jane. Ele, um advogado respeitado com uma carreira sólida na pequena New Bern, na Carolina do Norte; ela, a filha mais velha de Noah e Allie, protagonistas de Diário de uma paixão.

Wilson sempre foi sério. Tímido, demorou a namorar e precisou de incentivo para viver seu grande amor. Ele ama a esposa, mas não consegue demonstrar isso a ela. Passou a maior parte dos seus quase trinta anos de casado trabalhando para sustentar a família, porém, sem participar muito da vida dela e de seus três filhos.

A situação se complica quando ele esquece o aniversário de casamento. Jane, que cresceu em uma família afetuosa, com um pai romântico que estava sempre demonstrando o quanto amava a sua mãe, fica desapontada e profundamente magoada com o marido. Desde que seus filhos haviam saído de casa, os dois vinham se distanciando, e com o esquecimento um abismo abre-se no casamento deles.

Wilson se sente péssimo por ter esquecido a data que marcava seus vinte e nove anos de casamento com a mulher que ama. Apesar de não ser dado a grandes demonstrações de amor, o sentimento sempre esteve e continua presente.

Enquanto Jane se fecha, Wilson usará o próximo ano para remediar não apenas aquele erro, mas todos os que já cometeu em tantos anos de relacionamento. Ele buscará ajuda em seu sogro, que vive no asilo e ainda ama a esposa falecida, para recuperar seu casamento e mostrar a Jane que ele jamais poderia amar alguém como ele a ama.

 

Minha opinião

Que livro lindo! Wilson, apesar de ser bastante fechado, tem muito amor dentro de si, comprovando aquela teoria sobre aqueles que não demonstram serem os que amam mais. Ao contrário de sua esposa, ele foi criado por pais bastante práticos e não teve irmãos, o que contribuiu para que ele se tornasse introspectivo e fechado. Como não acreditava em Deus, ele quis que seu casamento acontecesse apenas no civil, e apesar de sonhar com as coisas diferentes, Jane fez a sua vontade. Eles criaram os filhos, e como acontece com muitos casais, quando se viram sozinhos novamente, não sabiam mais como reconectar-se um com o outro. Como mulher, me senti na pele de Jane. É obvio que ela ficou insegura e achou que o marido não a amava mais.

A história me surpreendeu de várias formas e teve um final lindo que me fez chorar de emoção!

Livro mais que recomendado.

 

Trechos:

“Sentado ao seu lado no sofá, eu soube que ainda amava Jane tanto quanto no dia do nosso casamento. No entanto, ao olhar para ela, ao reparar pela primeira vez na forma distraída como ela relanceou os olhos para o lado e na postura inegavelmente triste de sua cabeça, de repente percebi que não tinha certeza de que ela ainda me amava.”

 

“Nos dias bons de Allie, era como es estivéssemos começando tudo outra vez.

Ele sorriu.

― Foi isso que eu quis dizer quando falei que fazia aquilo por mim. Sempre que eu lia para ela, era como se a estivesse cortejando, porque às vezes, só às vezes, ela se apaixonava por mim de novo, como tinha se apaixonado tanto tempo antes. E essa é a sensação mais maravilhosa do mundo.”

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here