INSTAGRAM: @derepentetrintei

Busquei na literatura francesa o significado do termo “mulher balzaquiana”, uma vez que ele sempre soou pejorativamente no meu coração. Algumas mulheres até gostam de finalmente cruzar a linha dos “30”, mas muitas vezes se deparam com um estigma de pessoa “encalhada” e “mal resolvida” na vida.

Fui apresentada ao grande escritor francês do século XIX Honoré de Balzac, autor do livro “A mulher de 30 anos”, sua obra mais famosa. Foi por causa do sucesso dessa obra que surgiu a expressão “mulheres balzaquianas”, embora poucas saibam da sua procedência.

BALZAQUIANA
 
 

Foi em “Mulheres de 30 anos” que, pela primeira vez, a mulher madura teve destaque na literatura. Balzac valorizou sua beleza, experiências, pensamentos, desejos e angústias. Ele ponderou enfaticamente o direito que a mulher tem de ser feliz, e discutiu as mazelas de um casamento fracassado, no qual a mulher estava destinada a carregar a cruz das suas obrigações sociais e legais, sendo prisioneira de seus deveres.

Imagine um livro como esse circulando muito antes de nossos avós nascerem, há uns 150 anos? Logicamente esse livro escandalizou a sociedade devido às convenções sociais da época. Por outro lado também conseguiu conquistar os corações de muitas pessoas (inclusive o meu, “trintante declarada e convicta!”…)

Antes de pesquisar sobre “A mulher de 30 anos”, assim como muitas outras mulheres, eu também não conhecia a origem do termo “mulher balzaquiana” e, por isso, tinha muito receio (embora não pudesse evitar) tornar-me uma delas! Quanto tom pejorativo havia reunido apenas em duas palavrinhas! Há pouco tempo ser balzaquiana significava ser solteirona, ou então casada e escrava do lar. A realidade desse perfil de mulher certamente adquiriu uma nova conotação! Hoje, no auge da fase balzaquiana, a mulher pode viver o novo feminismo, enquadrando-se no perfil que melhor lhe convém!

Seja solteira, concluindo seus cursos e curtindo suas conquistas… Seja casada, cuidando da família, da carreira e tendo sua individualidade respeitada. O termo “mulher balzaquiana” não se relaciona em nada com uma mulher encalhada e mal resolvida! Muito pelo contrário: declara, e muito: direito de escolha e ser respeitada, acima de tudo!

Além de tudo isso nós, balzaquianas, alcançamos o mercado de trabalho de uma forma estrondosa, realizando funções que eram tipicamente masculinas, e conseguimos, com graça e maestria mantermos nossa beleza e feminilidade por mais tempo (seja por genética, por plástica ou na raça, não importa!). Como diz o escritor, “uma mulher de trinta anos tem atrativos irresistíveis para um rapaz… A mulher de trinta anos pode se fazer jovem, desempenhar todos os papéis, ser pudica e até embelezar-se com a desgraça”.

Para muitas mulheres é difícil aceitarem a idéia de já terem cruzado a linha dos 30 anos! Principalmente para nós brasileiras, conhecidas pela beleza e vaidade, pois continuamos a vestir calças jeans, usamos a cabeleira esvoaçante e comprida, biquínis, shorts, tudo que possa nos deixar mais jovens, mas sem os exageros da adolescência.  Afinal de contas, tentar retardar os efeitos do tempo e da gravidade nunca foi pecado, certo?

A questão não é a idade: mas como você vive sua vida! Gostaria de propor a você, mulher inteligente e que sabe o que realmente importa em sua vida: esqueça-se do RG e se enxergue como a mulher que você realmente é… personagens de várias idades podem ser criados: mas você é única e insubstituível! Ninguém é igual a você! Num mundo onde se compra quase tudo: autenticidade, elegância, amizade e, acima de todas as coisas: um sorriso sincero… são atributos que costumam vir com a idade! Que tal exercer aquilo que lhe é peculiar? Sobressaia onde ninguém pode estar por você!

Balzaquiana sim senhor!

Um beijo,

Isa.

10 COMENTÁRIOS

  1. Oi isabelle vi um post seu que era a queratizacao nos cabelos amei mas estou com uma dúvida eu vi que são 3 produtos bepantol solução queratina líquida porém o outro não consegui ler o nome vc pode me informar qual o nome do produto e onde encontro? bjss

  2. Adoro seus textos,seus depoimentos são muito esclarecedores,seus exemplos maravilhosos,muito obrigado por nos presentear-nos com tanta dedicação e sabedoria!!!bjosssssss

  3. OI Isabelle!
    Amo os seus textos e me identifico muito com cada um, acredito que por faltar poucos dias pra chegar aos trintas muita coisa tem mexido comigo e encontro nas suas palavras respostas.
    Muito obrigada!

  4. Excelente texto! Estou descobrindo agora o De repente trintei, o que é uma pena já que, já estou com 34 e poderia ter me ajudado muito a uns anos atrás. Chegar aos trinta tb mecheu muito comigo, mais do que eu poderia imaginar. Vou continuar acompanhando! Grande abraço!

  5. Olá Isabelle!
    Parabéns pelo texto, alias, adoro tuas postagens. Eu tento sempre absorver alguma coisa pois sou uma balzaquiana recente (completo 31 anos em abril) mas essa crise dos 30 há me atacou antes mesmo de trintar hahha. Mas vamos em frente que a vida não para.
    Um beijo.

    Thais

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here