INSTAGRAM: @derepentetrintei

Estou tentando me lembrar do momento em que descobri que já não era mais uma menina… Não sei se foi quando minha primeira irmã nasceu e eu precisei ajudar nos primeiros cuidados. Não sei se foi quando saí de Rio Branco/Ac, da casa do meu pai diretamente para Juiz de Fora/MG para me preparar para o Vestibular. Ou seria quando me casei? A verdade é que durante esse processo de transição as coisas aconteceram de uma forma muito confusa e cheia de sentimentos contraditórios.

Quando eu estava na faculdade, convivia com amigas que lideravam grupos importantes (imagine: amigas de extrema esquerda num curso de Direito). Através dessa convivência tentei me espelhar nelas, entendendo que toda mulher deve lutar por seus ideais e fazer valer a sua independência. Mas meu coração continuava vazio…Essa idéia de achar que toda mulher pode fazer o que um homem pode fazer foi terrível para mim, pois eu não queria ser como um homem! E aí? Cadê a mulher que eu queria ser? Como tantas mulheres, lutei para superar a confusão de ter várias vezes meu coração machucado.

A história é praticamente a mesma para todas as mulheres: recebemos todo tipo de mensagem, mas muito pouco se sabe sobre o que significa tornar-se uma mulher. Como uma mulher pode, de fato, ser confiante, bela e, ao mesmo tempo, não ser uma nazista feminista? Como posso ser uma mulher forte, sem me tornar uma mulher áspera?

POSTS RELACIONADOS:

Sei que não estou sozinha nesse terrível sentimento de não conseguir ser suficientemente boa como mulher. Não sou suficiente e sou demais ao mesmo tempo. Não sou suficientemente bonita, não sou suficientemente educada, não sou suficientemente esbelta ou disciplinada… Mas sou emotiva demais, sou teimosa demais, sou forte demais, sou complicada demais… O resultado é a cobrança, a companheira universal das mulheres.

Ouça o seu coração e o coração das mulheres que você conhece. O que é que uma mulher deseja? Com o que que ela sonha? Na opinião de Stasi Eldredge (escritora e conselheria cristã), toda mulher deseja do fundo de seu coração três coisas:

1) Ter um romance;

2) Desempenhar um papel insubstituível;

3) Revelar beleza.

Desejamos possuir uma beleza que mereça que os homens andem atrás de nós, que mereça que lutem por nós, uma beleza que é essência de quem realmente somos. Queremos a beleza que pode ser vista; a beleza que pode ser sentida; a beleza que afeta os outros; uma beleza que seja toda nossa para ser revelada.

E eu cheguei a uma conclusão terrível: tudo e todos a nossa volta, inclusive nós mesmas, estamos nos impondo padrões propostos por uma sociedade totalmente deturpada em seus valores… e nessa busca desenfreada pelo que supostamente “deveríamos ser” (magérrimas, estudadérrimas, bacanérrimas, ocupadíssimas, louríssimas e demais sufixos que vocês entenderem convenientes), esquecemo-nos de ser aquela que realmente agradaria o nosso coração e nos fariam desempenhar o nosso propósito no mundo: esquecemos de ser simplesmente mulher! Temos nos podado o direito primário que nos é conferido antes de nosso nascimento: o direito de sermos “amadas”.

Atualmente assumir que desejamos alguém para amar e sermos amadas transparece fraqueza, com nuances de falha de caráter! “Um marido, um amor pra quê? Se você pode viver de romances ocasionais e levar uma vida conforme a necessidade…. pura bobagem e falsa felicidade!” – essa é a nova mentirinha da sociedade moderna!

Ser mulher é ser chique! Chique é ser aquilo que seu coração deseja! Chique é ser você, totalmente insubstituível! Chique é ser bela pelo que você é! Chique é ser MULHER!

“Eu irei encontrá-la. Não importa quanto tempo leve, não importa a distância – irei encontrá-la.” (Nathaniel para Cora em “O ÚLTIMO DOS MOICANOS”)

Comments

comments

11 COMENTÁRIOS

  1. Hettiene… se essa é você, essa é a sua versão de beleza, de fineza… sim, é a sua escolha! É a beleza do novo feminismo! O direito de escolher o que te faz feliz e não ser julgada por isso! Concordo contigo, embora, para mim, ser chique seja outra coisa! Entende as colocações? Parabéns pela argumentação! Beijos, e obrigada por participar do blog!

  2. Entendo e adoro todas as colocações, ser chique é ser feliz, as necessidades para que isso aconteça varia de pessoa para pessoa porém isso torna cada uma de nós única e especial. Parabéns a você por dedicar seu tempo e seu carinho e nos fazer tão bem com suas dicas,conselhos,por compartilhar experiências que muitas vezes são espelhos do que vivemos. Ser chique é isso, é ser você, ser eu, ser chique é ser feliz.Grande Abraço Isabelle

  3. Isabelle,

    Conheci o seu Blog através de uma amiga e sempre dou uma olhadinha porque acho muito interessante. Hoje , simplesmente amei o seu texto…… Parabéns!!

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here