Que tal melhorar os sintomas da TPM? Com a prática regular de atividades físicas é possível! Durante a tensão pré-menstrual há perda da capacidade de concentração e a fadiga muscular e nervosa aparecem de forma mais rápida do que quando não estamos nessa fase.
Cólicas, enxaqueca, prisão de ventre, retenção hídrica, dores nas pernas e/ou na coluna lombar, depressão, irritabilidade são alguns dos sintomas que poderão melhorar de forma significativa. Lembrando que devemos levar em consideração o princípio da individualidade biológica (é ela quem dá as cartas inicialmente).
Posts relacionados:
Mas de nada adiantará se o exercício for praticado de vez em nunca ou uma vez na vida! Ele tem que ser praticado de forma regular, tem que se tornar um hábito (prazeroso!) em sua vida! Assim a liberação de endorfina acarretará maior sensação de bem estar (podendo se tornar analgésica em caso de dor não intensa) pós-exercício! Se em períodos “normais” essa sensação já é boa, imagina no período pré-menstrual! O ideal é que seja realizado um treinamento recuperativo durante a TPM, alongamentos, Yoga e atividades de menor intensidade são indicadas.
Algumas mulheres não sofrem com os terríveis sintomas da tensão pré-menstrual (como eu gostaria de fazer parte desse grupo!!! rsrsrs…), mas durante o período menstrual seu rendimento cai demasiadamente (incluo aqui rendimento não só no exercício, mas no dia a dia). Durante a menstruação sofremos alterações hormonais e físicas. Nosso organismo produz a prostaglandina, que provoca contração uterina com o objetivo de evitar a perda excessiva de sangue e é por isso que sentimos aquela sensação horrorosa de que estão “espremendo” o nosso útero (ou pode chamar de cólica mesmo). Não há contra indicação para a prática de atividade física durante esse período. Porém se os seus sintomas são exacerbados, o volume e a intensidade dos exercícios devem ser atenuados.
Logo após o período menstrual a mulher já está mais apta a praticar atividade física aeróbica, pois a retenção hídrica é menor e o consumo de oxigênio é maior. Há um aumento gradativo da capacidade de força muscular. Dessa forma a intensidade dos exercícios deverá ser ampliada de forma gradual até retornar a prática habitual (caso você já seja treinada).

Já na fase ovulatória a predisposição para realizar atividades de esforço aumentará significativamente. As concentrações de progesterona e estrogênio estarão elevadas e aliadas a outros hormônios serão os responsáveis pelo aumento da percepção de esforço e picos de força. Nesta fase os exercícios de força e de alta intensidade serão melhor suportados, ideal para explorar o treinamento em que o objetivo seja aumento de força pura e hipertrofia. Se você gosta de treinos mais pesados e “insanos”, esse é o momento.

O exercício pode agir como regulador do ciclo menstrual, bem como melhorar
incômodos derivados desse período. Estudos já indicam que mulheres com padrão de vida sedentário continuavam sofrendo com sintomas do período pré-menstrual, enquanto que mulheres que praticavam atividade física regularmente, por pelo menos 45 minutos, diminuíram ou eliminaram seus sintomas. Não existem contra indicações quando se fala em ciclo menstrual e atividade física. Mas o ideal é que na periodização do treinamento seja levada em consideração a flutuação hormonal que existe nesse período. E fatores como estresse neural-psicológico-metabólico, dificuldade de execução, volume, intensidade, tipo de combustível utilizado na sessão de treino devem ser analisados antes de montar a periodização. Assim será possível adaptar seu treino aos seus dias “não tão bons”.
Então nada de deixar que a TPM domine você! O ideal é que encontre uma atividade que lhe dê prazer, pois de nada adiantará querer se livrar de um “sofrimento” com outro! Mexam-se! Não importa como e nem a idade! Lembrem-se: o importante é não ficar parado! E se precisarem de uma ajudinha, podem contar comigo!

 

 
Um beijo!
 
 

Comments

comments

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here