Olá meninas! Cá estou eu para tentar verbalizar para vocês o que foi a nossa “odisséia” rumo a Nova York pela companhia aérea GOL! Antes de mais nada, queria deixar claro que só me submeti a esse “teste” da Gol porque minhas milhas estavam todas concentradas no programa Smiles. Sempre em que eu tentava emitir uma passagem aérea para o período de janeiro, apenas vôos pela Gol eram oferecidos ( as companhias parceiras sempre ficavam de fora).
FONTE: http://www.voegol.com.br/smiles/pt-br/o-smiles/novidades/paginas/voosNY.aspx
O começo da viagem foi bem interessante e não prenunciava quaisquer problemas. Fizemos nosso check in no aeroporto de Guarulhos e logo fomos conduzidos para a Sala Vip da Gol! Realmente o serviço me surpreendeu, e muito, levando-me a considerar se iria trocar a Delta pela Gol em futuros vôos. Tivemos strogonoff de frango servido com arroz branco e batata palha. Vários tipos de bebidas disponíveis, desde água e sucos até vinho e uísque. Ficamos até a hora do embarque! Foi um período muito agradável, pois o ambiente também era bonito e cheio de conforto (não tirei fotos infelizmente).
Quando embarcamos, logo levei um susto… a aeronove que nos levaria aos EUA era do mesmo tipo daquelas que fazem vôos nacionais. Pensei que aquele troço não levantaria vôo nunca com a quantidade de passageiros a bordo. E aquela promessa de cadeiras do meio vagas para clientes ouro e diamante foi mantida apenas na ida. Você pode imaginar como foi a volta?
Esse era nosso calendário:
O vôo saiu quase que na hora marcada, apenas com algum atraso devido à bagunça na marcação de assentos ( prenúncio da volta já não era bom). Depois dos comissários negociarem com os “sem assentos”, a aeronave partiu. 

Esqueci de mencionar que recebemos um Kit da Natura (cada passageiro), outro kit com escova, pasta e enxaguatório bucal e, em cada assento havia um cobertor e um travesseiro. O detalhe interessante é que no plástico que o envolvia (kit de dormir), estava escrito que deveríamos guardar o travesseiro para a nossa volta para o Brasil. Confesso que nem prestei atenção nesses dizeres, e só fui pagar o pato quando, na volta, eu estava sem travesseiro e vestindo roupas leves (à noite, quando pedi ao comissário um kit para poder me aconchegar, eis que ele me disse que não poderia fazê-lo, pois os kits à bordo eram apenas para clientes ouro e diamante, e que eu deveria estar com meu kit da ida! Embora meu marido fosse cliente ouro, resolvi não bater de frente com ele, pois estava cansada demais e sem o maldito cartão em mãos para mostrá-lo.
Problemas de todos os níveis foram acontecendo, mas o que mais me estressou foi o acesso aos banheiros:
Quantas pessoas na fila??? Eu conto 06 nessa foto…. Enquanto esperávamos para usar os banheiros (apenas dois disponíveis na ida – um na frente e outro na parte de trás da cápsula voadora), sempre alguma comissária estressada vinha dizendo que estávamos atrapalhando o trabalho delas de servir o lanche ( que dessa vez não foi amendoim ou barra de cereal). Em outro momento um comissário disse que não poderíamos ficar ali, pois se houvesse uma rápida despressurização da cabine, apenas quatro máscaras cairiam no local onde estávamos. Éramos 06 naquele local, fora comissários. Mas o que se há de fazer??? Deveriam colocar penicos disponíveis embaixo de cada assento?
Além de toda falta de estrutura da aeronave, não havia qualquer entretenimento disponível. Sorte que levei um livro e me distraí.
Quando chegamos em NY, tudo foi amenizado pela alegria e descontração da viagem. Mas eu confesso que já estava sofrendo pela volta. E não deu outra: Assim que chegamos ao aeroporto JFK, a fila não negava de qual companhia aérea se tratava:

 
Pude ver de tudo nessa fila: das muambas (a começar pelas minhas) às mais infames discussões por conta da desorganização. Clientes ouro e diamente (que em tese teriam preferência no check in) misturados com a galerona. Depois gente furando fila…. Depois a fila da Gol se misturando com a fila da Avianca. Aquilo parecia a feira do rato lá em Juiz de Fora ( quem conhece sabe do que falo). Por fim os seguranças do aeroporto intervieram e a coisa foi apaziguada.

Mas isso não era o pior para mim… quanto mais eu olhava para as bagagens da galera, de muito medo meu coração se enchia! Será que a cápsula levantaria vôo com tudo isso? Quando perguntei à atendente da Gol sobre a questão do peso e número de passageiros para a capacidade da aeronove, ela logo me respondeu: “vocês são o 6º vôo de volta para o Brasil. Ainda não tivemos problemas com isso.” Educada e encorajadora como foi, logo pensei em sair correndo dali e comprar um bilhete na Delta. Mas acho que o lexotan fez efeito e me mantive no lugar. Precisava apenas orar e esperar poder pousar no Brasil, ainda
que minhas compras ficassem na alfândega… 


De tudo isso eu aprendi o seguinte: refrigerante é coca-cola, sabão em pó é Omo, leite condensado é Moça… e avião para NY NÃO É GOL, pois laranjinha só na feira!

A volta foi tranquila, as filas para o banheiro quilométricas, os comissários mais bem humorados… mas cobertorzinho e travesseiro apenas para as classes ouro e diamante! E aí? Vai de laranjinha para NY? 

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá ! Li seu desabafo…Que coisa hein…Mas acho q. o que mais causou seu pesadelo , não foi a companhia aérea em si , mas sim as pessoas que voam pela companhia!O que vc chama de “troço” é um Boeing 737-800. E tem sim a capacidade de fazer uma viagem longa desde que esteja com seu combustível calculado.
    Pessoas que fazem “fila” no banheiro é falta de educação. Se vê q. tem mais de 2 pessoas na fila aguarde sentado , para não atrapalhar o trabalho da tripulação. É sempre importante LER Tudo e tb prestar atenção o que diz os comissários (mesmo que seja passageiro constante) . Depois não adianta reclamar. Voltando a fila do checkin em NY , novamente são pessoas mal educadas. Se é preferencial clientes ouro e/ou diamante , respeite . Vc citou q. seu marido tinha …Pq não usar nessa hora ?
    Espero que tenha mais sorte da proxima vez.Não voando de Gol

  2. Com a Delta não foi nem um pouco pior. No dia 15.10 deveria embarcar para NY às 20:05h. Depois de 2h dentro do avião, fomos retirados da aeronave, pois estava com problemas mecânicos. Voltamos para a sala de embarque, a atendente informou que cada passageiro deveria entrar em contato com o 0800 da empresa para remarcar a passagem. É mole??!! Foi preciso acionar a Polícia Federal para garantir o embarque, no dia seguinte. Perdemos diárias de hotel, de carro, passeios já pagos … e a Delta não deu nenhuma satisfação.
    É complicado, muito complicado.

  3. Kkkkk! Pena que também participei da Epopéia! Adorei o post! E inclusive falei para um amigo piloto da Gol. Você esqueceu de mencionar as paradas em Punta Cana e Caracas: nenhum passageiro descendo ou subindo! A parada com certeza foi apenas para abastecer e provavelmente para pegar uma carga de amendoim!!!!

    A volta só foi amenizada pela alegria dos conteúdos da bagagem!!!

    Beijos e quem sabe nos encontramos novamente? Não pela Gol… Haha

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here